Atualizado em

Definitivamente, nós precisamos aproveitar melhor o potencial da internet, e neste post vou falar especialmente das mídias sociais.

Independentemente do que você faz, as dicas deste post podem te ajudar.

Escrevi principalmente para aqueles que querem crescer profissionalmente, seja empreendendo ou não.

Mas acredito que as reflexões valem para todos nós!

Antes de me tornar de fato uma jornalista empreendedora, eu estava mergulhada nos estudos sobre empreendedorismo, comunicação digital, inovação e tecnologias.

Então eu vi que eu ainda não tinha a menor noção da magnitude do potencial da internet.

Já estamos pós-digital na era pós-digital e muita gente ainda não se dá conta da dimensão das transformações e do que está por vir.

Nesse contexto, a internet hoje é onipresente. A gente nem nota que ela está ali, até que falte a wi-fi.

Então, eu tenho aprendido, reaprendido e observado tudo isso com outros olhos e sugiro que você se atente também.

Afinal, Bill Gates disse num passado não muito distante:

Em alguns anos vão existir dois tipos de empresas: as que fazem negócios pela internet e as que estão fora dos negócios.

Creio que esta realidade está posta. E saber usar as ferramentas de comunicação ao nosso dispor é absolutamente crucial para que a gente consiga se desenvolver na internet!

O que a ciência tem falado sobre as mídias sociais?

Antes de falar das três dicas, só quero lembrar que há muita ciência estudando vários aspectos entre nós e as mídias sociais. Afinal, somos bilhões conectados. É muita gente.

Por exemplo, uma pesquisa do Departamento de Estudos em Comunicação, da Universidade de Kansas, (EUA), aponta que as mídias sociais não exercem efeitos negativos significativos sobre as interações sociais “presenciais” ou sobre o bem-estar social.

Outro estudo mostra inclusive que as mídias sociais podem ter benefícios emocionais e psicológicos, embora estes não correspondam às interações face a face (no sentido de ambos estarem presentes fisicamente).

Porém, o estudo ainda faz uma ressalva sobre o uso crescente das formas digitais de interação e os possíveis custos e benefícios para a qualidade dos relacionamentos.

Se você quiser saber mais sobre os riscos e benefícios das mídias para a nossa vida, no post “As mídias sociais fazem bem ou mal ao cérebro? eu falo mais.

Antes de mais nada, então, temos que nos atentar à forma como estamos utilizando as mídias sociais.

Pare um momento e faça a você mesmo as seguintes perguntas: será que estou usando as mídias sociais de forma saudável? Estou aproveitando mesmo o potencial delas?

Aqui vão algumas dicas simples, às vezes até introdutórias para alguns, mas valiosas e que têm feito uma grande diferença na minha vida.

Tenha mais propósito nas mídias

Hoje é fundamental ter o que alguns chamam de “presença digital”.

Neste contexto, presença digital inclui estar ativo e consistente nas mídias sociais.

Porém, mais do que postar conteúdo de qualidade e com constância, é essencial que você tenha um objetivo mais definido.

Se você não sabe onde quer chegar, todo o restante pode ir por água abaixo.

Qual é o seu propósito profissional? E a relação dele com as mídias? Por que você quer postar? Para quem você quer falar?

Refletir sobre esses pontos vai te ajudar MUITO a direcionar a sua estratégia de comunicação.

Se você busca crescer profissionalmente, as pessoas precisam saber o que você faz e porque você faz. O seu manifesto, para quem você quer fazer a diferença.

Então fale com elas. Use sua comunicação e o potencial de alcance das mídias.

Não fique só em uma mídia social

Outra coisa que tenho aprendido com gestores, empreendedores e estudiosos da internet. O ditado popular de não “colocar todo os ovos na mesma cesta” vale também para as mídias sociais.

Por outro lado, são muitos os sites de mídias sociais, e estar em todas elas pode ser exaustivo, além de impossível. São milhares pelo mundo, para todos os gostos.

Além disso, nem sempre eu preciso ir para a mídia social X só por que todo mundo está indo. Será que ela é a ideal para o meu negócio?

Logo, trabalhemos com qualidade em vez de quantidade. Escolhi algumas mídias e tenho me dedicado a elas. Sugiro que você que está lendo este post também pense nisso.

Contudo, mesmo cada mídia social tendo propósitos diferentes, a conexão continua sendo a base delas.

Então, aproveite e explore outras mídias! Estude sobre elas. Procure saber mais sobre o engajamento, formas de comunicação mais adequadas, como alcançar mais pessoas.

Outro motivo para você não ficar só em uma mídia social: não se esqueça de que as mídias sociais não são nossas. Já pensou que daqui para ali tudo muda e/ou acaba?

Por isso é importante estar em vários terrenos e, mais importante ainda: ir além delas e criar seu próprio “cantinho”. Por exemplo, um site/blog.

Interaja! As mídias são SOCIAIS

Parece uma dica boba, mas não é. Tantas ferramentas das mídias sociais desperdiçadas ou utilizadas com fins prejudiciais…

Além disso, temos que lembrar que as mídias não são somente uma vitrine para você mostrar o que você faz. Elas são ferramentas de COMUNICAÇÃO.

É preciso haver diálogo, e não monólogo. Vamos trocar mais figurinhas!

Por trás de cada número, há uma pessoa.

O Instagram, por exemplo, oferece muitas oportunidades de interação mais direta entre os usuários: enquetes, perguntas, lives, bate-papos, os próprios directs…

Para fechar este post: falei tudo isso aqui pois a ascensão das mídias sociais tem mudado a comunicação de maneira muito significativa.

Hoje nem tem mais diferença entre online e offline.

Parece que se você não está nas mídias sociais, você é esquecido. Será? É algo bem instigante e que precisamos continuar estudando.

Por ora, deixo essas três dicas e mais uma reflexão que gosto muito.

O filósofo irlandês George Berkeley diz:

Ser é ser percebido.

Para além das questões filosóficas e psicanalíticas dessa expressão, acredito que ela se encaixa bem na comunicação em mídias sociais!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *